Brasil: Polícia Invade Residências e Espaços de Anarquistas na Véspera da Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre (RS)

PortoAlegre

A polícia civil gaúcha cumpriu na manhã desta quarta-feira (25 de outubro) diversos mandados de busca em residências e espaços coletivos na região metropolitana de Porto Alegre (RS) para coletar materiais para investigação. A polícia afirma que os endereços estão vinculados a um grupo que teria realizado ataques a viaturas, sedes de partidos políticos, delegacias, bancos e concessionárias de veículos. A ação foi truculenta e os policiais agrediram as pessoas que residem nesses espaços e levaram algumas delas para a delegacia.

Foram ao todo 10 mandados de busca e apreensão, onde foi apreendido material anarquista (cartazes, livros, faixas, etc.), máscaras de fantasia, latas de spray e outros objetos comuns, inclusive garrafas de plástico cheias de saco plástico, que a polícia relatou serem coquetéis molotov. Nem mesmo policiais são tão ignorantes a ponto de achar que pode-se fazer coquetéis molotov com garrafas plásticas e sem um líquido inflamável. De fato essas garrafas seriam utilizadas como tijolos ecológicos para bioconstruções.

A polícia tenta fazer colar acusações de tentativa de homicídio, organização criminosa e formação de quadrilha sem qualquer evidência que conecte os alvos das investigações com os supostos crimes. Como em outras ocasiões, plantam evidências e distorcem os fatos para que a opinião pública se encarregue de julgar e condenar sem qualquer prova. Buscam embasar graves acusações com provas circunstanciais como ter livros ou materiais anarquistas.

A ação da policia acontece apenas dois dias antes da 8ª Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre, numa clara atitude intimidatória.

Escrevemos esse relato para fazer um chamado à solidariedade com as pessoas atingidas por esse operação. A repressão não é local, não está limitada a fronteiras espaciais. Quer seja na Europa, com a repressão às pessoas envolvidas nos protestos contra o G20, ou no sequestro e assassinato de nosso companheiro Santiago Maldonado na Argentina, estaremos juntxs fazendo frente a esses avanços do Estado. Nossa luta não vai ser dobrada, domesticada ou freada.

Nós estamos em todos os lugares!

> Reportagens que saíram na grande mídia (ler com olhos críticos):

http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/10/geral/592750-grupo-anarquista-que-atacou-sedes-policiais-e-partidos-e-alvo-de-operacao-no-rs.html

https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2017/10/policia-civil-investiga-grupo-suspeito-de-realizar-ataques-a-viaturas-e-sedes-de-partidos-em-porto-alegre-cj96sqy7z0a9j01mqqe3wixel.html

https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/policia-faz-operacao-contra-grupo-suspeito-de-atacar-viaturas-da-policia-sedes-de-partidos-e-banco-no-rs.ghtml

agência de notícias anarquistas-ana

aqui também essa desconhecida
e ansiosa e breve coisa
que é a vida

Jorge Luis Borges

This entry was posted in ACAB, Anarchist Book Fair, Brazil, Fuck The Police, G20 Summit Hamburg 2017, International Solidarity, Porto Alegre, Repression, Santiago Maldonado. Bookmark the permalink.